Estudo contesta contaminação de rio Paraopeba por rejeitos de barragem da Vale

Um estudo sobre a qualidade das águas no rio Paraopeba mostrou que metais como ferro, alumínio e manganês são encontrados naturalmente na bacia hidrográfica do rio. O trabalho feito pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) mostra que, um ano após o rompimento da barragem B1 da mina do Feijão, em Brumadinho (MG), não existe contaminação por tóxicos nas águas da barragem de Três Marias, proveniente do rejeito da estrutura da Vale.

Estudo contesta contaminação de rio Paraopeba por rejeitos de barragem da Vale Estudo contesta contaminação de rio Paraopeba por rejeitos de barragem da Vale Estudo contesta contaminação de rio Paraopeba por rejeitos de barragem da Vale Estudo contesta contaminação de rio Paraopeba por rejeitos de barragem da Vale Estudo contesta contaminação de rio Paraopeba por rejeitos de barragem da Vale

Ponte sobre o rio Paraopeba destruída por lama de barragem

A pesquisa demonstra ainda que a presença de contaminantes tóxicos na calha do Paraopeba não tem como única fonte os rejeitos provenientes do rompimento.

article_image