Samarco recusa proposta do Ministério Público do Trabalho para evitar demissões

A Samarco recusou proposta feita pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em Minas Gerais de não demitir funcionários no período entre 5 de novembro, data do rompimento da barragem da empresa em Mariana, e 180 dias depois do retorno das atividades da mineradora. Com a queda da represa, a Samarco teve a licença de operação embargada por prazo indeterminado.

Samarco recusa proposta do Ministério Público do Trabalho para evitar demissões Samarco recusa proposta do Ministério Público do Trabalho para evitar demissões Samarco recusa proposta do Ministério Público do Trabalho para evitar demissões Samarco recusa proposta do Ministério Público do Trabalho para evitar demissões Samarco recusa proposta do Ministério Público do Trabalho para evitar demissões

Em contraproposta, feita em reunião entre procuradores e representantes da empresa na sexta-feira, 27, a mineradora disse que poderia garantir a estabilidade dos trabalhadores até 31 de janeiro.

loader