MINÉRIO DE FERRO: Preço dispara quase 6%

Leia no Minério de Ferro de hoje: Preço de referência avança para US$ 63,36 a tonelada; Minério no mercado futuro dispara 6,5% nos contratos de janeiro; Demanda para 2018 na China anima mercado.
MINÉRIO DE FERRO: Preço dispara quase 6% MINÉRIO DE FERRO: Preço dispara quase 6% MINÉRIO DE FERRO: Preço dispara quase 6% MINÉRIO DE FERRO: Preço dispara quase 6% MINÉRIO DE FERRO: Preço dispara quase 6%

Preço de referência avança para US$ 63,36 a tonelada

O índice de preços de minério de ferro compilados pela Metal Bulletin teve alta de US$ 3,48, ou 5,81%, e foi cotado a US$ 63,36 a tonelada. O minério de ferro é medido em toneladas métricas base seca, sem umidade. Esse preço é para minério com teor de 62% Fe entregue no porto de Qingdao, na China, no prazo de oito semanas na modalidade custo e frete (CFR).

Minério no mercado futuro dispara 6,5% nos contratos de janeiro

O contrato mais negociado no mercado futuro de minério de ferro, na China, com vencimento em janeiro de 2018, passou de 439,9 para 468 iuanes, ou US$ 70,53 a tonelada, de acordo com o câmbio de hoje (6). A comparação é feita com os preços de fechamento. O volume total negociado saiu de 151 bilhões para 177 bilhões de iuanes, o equivalente a 378 milhões de toneladas de minério de ferro. O contrato de minério para entrega em maio de 2018, segundo mais negociado, foi cotado a 487,5 iuanes, ou US$ 73,47 a tonelada, com alta de 5,75%. Com informações da Bolsa de Mercadorias de Dalian, na China.

Demanda para 2018 na China anima mercado

Os contratos futuros de minério de ferro na China atingiram o maior nível em duas semanas, acompanhando os preços do aço depois que a principal província produtora de aço no país ultrapassou os limites mínimos de redução de capacidade projetados para o ano. As expectativas de que a demanda das siderúrgicas por matérias-primas disparem depois do inverno também animaram investidores. Daniel Hynes, estrategista do banco ANZ, disse que "o mercado está ficando cada vez mais altista quanto à demanda em 2018". "Com as expectativas de que a demanda básica permaneça forte, poderemos ver uma demanda reprimida chegar ao mercado com o fim das restrições [à capacidade de produção de aço]", disse Hynes em nota. Com informações da Reuters.

topics

loader
article_image