Licitação de áreas em disponibilidade opõe entidades do setor minerário

O Instituto do Desenvolvimento da Mineração (IDM Brasil) entrou com Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando a legislação que regula o código do setor, assim como as normas que permitem às atuais as ofertas públicas de áreas em disponibilidade. O atual regramento legal, porém, é defendido por outras entidades do setor, como o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) e a Associação Brasileira de Pesquisa Mineral (ABPM).

Licitação de áreas em disponibilidade opõe entidades do setor minerário Licitação de áreas em disponibilidade opõe entidades do setor minerário Licitação de áreas em disponibilidade opõe entidades do setor minerário Licitação de áreas em disponibilidade opõe entidades do setor minerário Licitação de áreas em disponibilidade opõe entidades do setor minerário

Supremo Tribunal Federal (STF)/Divulgação

Na ação, o IDM Brasil, entidade ligada à Frente Parlamentar Mista da Mineração no Congresso Nacional, afirma que o PPI "viola o pacto federativo ao centralizar os

article_image