BID vê multinacionais trocando China por Brasil e AL na busca por commodities

Depois de décadas de experiência com fornecedores de insumos localizados na Ásia, em especial, na China, multinacionais americanas e também europeias passaram a considerar fornecedores de insumos e commodities que não estejam tão distantes, segundo o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Mauricio Claver-Carone. Para ele, esse movimento, que surgiu no início da pandemia, deve ser encarado como uma oportunidade de ouro para o Brasil e para outras economias da América Latina.

BID vê multinacionais trocando China por Brasil e AL na busca por commodities BID vê multinacionais trocando China por Brasil e AL na busca por commodities BID vê multinacionais trocando China por Brasil e AL na busca por commodities BID vê multinacionais trocando China por Brasil e AL na busca por commodities BID vê multinacionais trocando China por Brasil e AL na busca por commodities

Brasil se beneficia com segunda maior reserva de terras raras/Reprodução

Claver-Carone, que está à frente do BID desde outubro, participou há alguns dias em Madri de um encontro com empresários ibero-americanos para falar do apoio do banco a

article_image